quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Relatório Pedagógico - Sala de Recursos



RELATÓRIO PEDAGÓGICO
Resolução Se 11/2008

alunos com deficiência intelectual

Área de deficiência: Deficiência Intelectual
- Escola Estadual Antonio Ferraz
- Diretoria de Ensino Região de Jaú

I-       Relato dos professores da classe regular:

A-           Intervenção e interação afetiva, social e familiar

     Em entrevista com a mãe, ela relata que ele é o primeiro filho do casal. Durante a gravidez  fez acompanhamento em pré-natal no PAS de Mineiros do Tietê. A gravidez foi de nove meses completos e sem complicações que caracterize seriedade; nasceu de parto normal em Hospital São José de Barra Bonita. Seu desenvolvimento neuropsicomotor foi normal, sentou aos seis meses, engatinhou aos oito meses, andou aos 14 meses e falou aos 15 meses as primeiras palavras, sendo que frases completas só aos dois anos.
     Sua queixa principal surgiu ao iniciar o período de escolaridade, ou seja, a pré-escola porque não conseguia desenvolver habilidades de escolaridade dentro dos padrões pela idade. Foi encaminhado ao Hospital Estadual de Bauru para avaliação com neuropediatra  a qual questionou-se o diagnóstico de Distúrbio de Aprendizagem, confirmado posteriormente.
     Quanto ao comportamento diário, o aluno apresenta interação satisfatória com colegas, professores e funcionários. É sociável e independente, auxilia a mãe nos afazeres domésticos. Diante de conflitos e frustração costuma calar-se e não demonstra suas ideias. Fica claro nesse tipo de comportamento sua dificuldade no aspecto educacional, tem vocabulário limitado, aprendizagem lenta, dificuldade de compreensão e em relacionar conceitos, frequentando por anos classe de PIC.
     Diante de tantas dificuldades, até mesmo de ordem fonética, foi encaminhado à fonoaudióloga para avaliação e tratamento durante o ano letivo de 2012. Nessa época fora constatado o seguinte diagnóstico: apresenta dificuldades na discriminação auditivas de diversos fonemas, memória mediata auditiva, na memória imediata e mediata visual apresenta dificuldades na memorização de objetos e frases lidas. Na escrita faz aglutinações de palavras e apresenta um número acentuado de trocas e erros ortográficos e gramaticais. Na elaboração de escrita, apresenta dificuldades em utilizar elementos gramaticais e organizar uma estrutura sintática numa frase. Demonstra pouca capacidade de raciocínio e ainda não reconhecendo o alfabeto completo, apenas algumas letras. Também apresenta dificuldade de aprendizagem na escrita, não estabelecendo correspondência entre segmentos do falado e segmentos do escrito, bem como em copiar atividades da lousa, o aluno troca palavras. A leitura é silabada e apresenta grande dificuldade na sequencialização de frases lidas.
      Enfim, apesar de grande esforço, se frequentar sala de recurso é um aluno com bom prognóstico.


B-Avaliação dos professores – observação descritiva nas diversas situações escolares:

           Segundo relato dos professores atuais, do 6º ano, o aluno consegue trabalhar cooperativamente, interage nas leituras compartilhadas, não demonstra problemas de relacionamento. É muito prestativo em ajudar colegas, professores e funcionários.
          Sua maior dificuldade está centrada na concentração de leitura silenciosa, apresenta dificuldades na leitura em voz alta e em algumas situações não consegue interpretar textos, perdendo o sentido daquilo que lê; necessita de muita estimulação para o desenvolvimento dessa habilidade. Produz apenas frase curtas e com pouca riqueza no vocabulário.
         Normalmente não demonstra agressividade e atende as solicitações e acata as normas de convivência; durante as aulas participa satisfatoriamente das atividades, não fica perambulando pela sala de aula.
          Em Matemática estabelece relações entre quantidade e símbolo; lê e registra números; domina todas as operações matemáticas, porém multiplicação e divisão com números menores, requer mais treino; tem noção temporal, reconhece cédulas e moedas e faz uso de cálculos mentais com grau compatível com a idade.
           No contexto escolar, por meio de contato direto com os professores, são propostos adaptações curriculares para o melhor aproveitamento do conteúdo escolar através de recuperação contínua, atendimento individualizado e atividades diversificadas. Mesmo oferecendo todas as estimulações no ambiente escolar, a aluna não obteve muitos avanços satisfatórios na aprendizagem necessitando frequentar a sala de recursos.
**************************************************************

I-       Relato dos professores da classe regular:


A-           Intervenção e interação afetiva, social e familiar


A aluna é a terceira filha do casal, e segundo relatos da mãe, sua gravidez foi bastante conturbada e agitada, devido ao pai ser usuário de drogas. Gestação de nove meses completos, acompanhados em pré-natal por médico pertencente ao PAS do município de Mineiros do Tietê. A mãe deu a luz, parto normal, dentro da ambulância na presença e auxílio de uma enfermeira e ajuda do motorista. Somente após rompimento do cordão umbilical, ambas, foram encaminhadas à Santa Casa de Misericórdia de Jaú.
A aluna apresentou desenvolvimento neuropsicomotor normal no primeiro ano de vida, porém desde a pré-escola faz acompanhamento com médico neurologista, psicóloga, fonoaudióloga, apresenta CID F 70.1 ( Retardo Mental).

Sempre foi uma criança que demonstra agressividade em situações de conflito; usando meios físicos para alcançar o que deseja; por isso o neuropediatra indicou medicamentos específicos, a qual faz uso até a presente data.
Atualmente, apresente comportamento adequado para a idade e para o convivo familiar, com professores e colegas; não usa de agressividade para expor suas ideias. Socialmente adaptada às normas e regras escolares que muitas vezes auxilia professores com materiais e distribuição dos mesmos em sala de aula, porém com significada defasagem nos conceitos pedagógicos.


B-Avaliação dos professores – observação descritiva nas diversas situações escolares:


      A aluna, 12 anos, matriculada no 6º ano A do Ensino fundamental, nesta unidade de ensino, no período da manhã, com base no relatório pedagógico dos professores e coordenadora pedagógica, constata-se que a aluna apresenta baixo desenvolvimento escolar, com pouca evolução em seu processo de aprendizagem, dificuldades de assimilação e a retenção de conceitos desde a pré-escola.
    Ao ingressar nesta unidade, foi feita a Avaliação Diagnóstica em Processo e a aluna apresentou resultado muito abaixo do esperado da média pela sua idade. Reconhece as vogais, porém as consoantes ainda têm suas omissões. Embora seja uma aluna esforçada, apresenta grande dificuldade na leitura, interpretação e produção: vocabulário pouco explorado, frases curtas, trocas na escrita e muitas vezes sem sentido. Percebe-se que a aluna possui dificuldade de compreensão de estruturas mais complexas de linguagem.
      Apresenta comportamento satisfatório desde que iniciou tratamento medicamentoso: Imipramina 25mg, Clorpromazina 25mg, Tofranil 25mg (receituário anexo). A aluna já realizou acompanhamento com psicólogo e fonoaudiólogo, sendo que, devido ao grau de evolução recebeu alta.
Em Matemática não domina as operações de divisão e não faz cálculos mentais e com pouco domínio na multiplicação, necessitando de material visual e concreto para a realização das atividades, deixando os conceitos simples a desejar pelo ano que se encontra.
     No contexto escolar, por meio de contato direto com os professores, são propostos adaptações curriculares para o melhor aproveitamento do conteúdo escolar através de recuperação contínua, atendimento individualizado e atividades diversificadas. Mesmo oferecendo todas as estimulações no ambiente escolar, a aluna não obteve muitos avanços satisfatórios na aprendizagem necessitando frequentar a sala de recursos.

I Chá Literário Sala de Leitura E. E. Antonio Ferraz

Em ATPC, professoras da Sala de Leitura e coordenadoras pedagógicas proporcionaram aos professores o I Chá Literário, com leitura de Fernando Pessoa e dramatização da leitura.

 Liberdade
Ai que prazer 
Não cumprir um dever, 
Ter um livro para ler 
E não fazer! 
Ler é maçada, 
Estudar é nada. 
Sol doira 
Sem literatura 
O rio corre, bem ou mal, 
Sem edição original. 
E a brisa, essa, 
De tão naturalmente matinal, 
Como o tempo não tem pressa... 

Livros são papéis pintados com tinta. 
Estudar é uma coisa em que está indistinta 
A distinção entre nada e coisa nenhuma. 

Quanto é melhor, quanto há bruma, 
Esperar por D.Sebastião, 
Quer venha ou não! 

Grande é a poesia, a bondade e as danças... 
Mas o melhor do mundo são as crianças, 

Flores, música, o luar, e o sol, que peca 
Só quando, em vez de criar, seca. 

Mais que isto 
É Jesus Cristo, 
Que não sabia nada de finanças 
Nem consta que tivesse biblioteca... 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"









quinta-feira, 7 de novembro de 2013

PAUTA DA ATPC 05 de novembro de 2013


  1. Questionário SARESP para professores de Português, Matemática, História e Geografia dos 7º anos, 8ª séries e 3ª série do Ensino Médio.
  2. Formatura: dia 9/12 – 8ª série, dia 10/12 – 3ª série
  1. Avaliações Bimestrais – ficar atento aos dias estipulados na sala dos professores. Fazer avaliações impressas antecipadamente, com questões bem elaboradas e que atinjam tempo suficiente para ficar com seus alunos por 2 (duas) horas. Você pode utilizar este tempo para revisão, atividades posteriores, trabalhos de compensação de faltas; o que não pode é deixar seus alunos sem nenhuma ocupação (isto vale apenas para o horário especial a partir do dia 28/11), os dias 05 e 06 podem ser utilizados para recuperação.
  2. Estudo: Aprendizado e Desenvolvimento: um processo sócio-histórico – Martha Kohl de Oliveira
Leitura, reflexão e questões.
  1. Sala de recursos – assinatura dos professores das salas onde tem alunos que receberão atendimento.
  2. Semana da Astronomia: Projeto PRODESC de Física e Língua Portuguesa de 18 a 22/11
  3. Outros assuntos:    Prova Brasil para as 8ª séries: dias 11 e 12/11; socialização da O.T. de Ciências Prevenção e Comunidade Presente pela prof.ª Célia


Responsáveis:

PC EF Ana Lúcia, PC EM Cláudia.

PAUTA ATPC 22/10/2013

“Apenas quando somos instruídos pela realidade é que podemos mudá-la”.
Bertolt Brecht

 
coordenadoras pedagógicas: Ana Lúcia Luciano Felipe
                                                               Cláudia Regina Cippola Vendramini



1. Informes
·         Passeio SESC – exposição Rua do Porto– dia 22/10 (à noite)  e dia 24/10/13 (manhã)
·         Recadastramento anual aniversariantes do mês – não esquecer.
·                    SARESP – orientações:
Þ    Questionários pais e alunos – de 21 a 28/10: 
Þ    Professores interessados em ser aplicador no SARESP (planilha anexa)
Þ    Dia 26/11 = Português e Matemática; dia 27/11 = História e Geografia; Ciências será sorteado uma escola
Þ    Questionários para professores de 02 a 14/11
·                    Professor interlocutor – 7ª série D – professores que atuam nessa sala deverão preencher relatório sobre o aluno com deficiência auditiva: CRISTIAN CANDIDO.
·                    Dicionários de Inglês e outros materiais utilizados: favor contar e recontar quando distribuídos, pois estão sumindo e zelar para conservá-los em bom estado.


Texto para estudo e reflexão: ENSINO NA SOCIEDADE DE CONHECIMENTO: EDUCAÇÃO NA ERA DA INSEGURANÇA                                 (Andy Hargreaves)

Caros Professores,

Neste aula entraremos em contato com uma das obras da Bibliografia parte comum dos concursos da SEE-SP. 
Trata-se do livro ENSINO NA SOCIEDADE DE CONHECIMENTO: EDUCAÇÃO NA ERA DA INSEGURANÇA (Andy Hargreaves). 
Vamos estudar e ao mesmo tempo fazer um paralelo entre a obra e a nossa prática profissional pensando na sala de aula, nas nossas aulas. 
Nesta semana abordaremos uma análise dos capítulos II e III. 
Para responder as questões baseie-se nos textos apresentados e em suas experiências profissionais.
Bom trabalho!
ENSINO NA SOCIEDADE DE CONHECIMENTO: EDUCAÇÃO NA ERA DA INSEGURANÇA
(Andy Hargreaves)

Nesta obra, Hargreaves analisa o significado da expressão "sociedade do conhecimento'" e suas implicações na vida dos professores da atualidade. Embora baseado em experiências norte-americanas e canadenses, as reflexões do autor tem repercussões mundiais, isto porque, a sociedade do conhecimento depende das escolas como um todo para tornar-se uma sociedade aprendente criativa e solidária. Ao longo de todo o livro o autor deixa claro que o futuro da transformação educacional deve basear-se em um pequeno número de políticas estratégicas, mas que com um poder de “alta alavancagem” e bem articuladas com redes de apoio serão responsáveis pela melhora na qualificação da prática docente.
CAPÍTULO 2 - O ENSINO PARA ALÉM DA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO: DO VALOR DO DINHEIRO AOS VALORES DO BEM
Ensinar para além da economia do conhecimento significa desenvolver os valores e as emoções do caráter dos jovens, ressaltar a aprendizagem emocional na mesma medida que a cognitiva, estabelecer compromissos com a vida coletiva e não apenas com o trabalho em equipe de curto prazo e cultivar uma identidade cosmopolita que suporte tolerância com diferenças de raça e gênero, responsabilidade para com os grupos excluídos dentro e além da própria sociedade.
Com este propósito, os professores devem se comprometer com o desenvolvimento e com a aprendizagem profissional formal, trabalhar com os colegas em grupos de longo prazo, e ter oportunidades para ensinar e aprender em diferentes contextos e países. Para tais compromissos existem desafios, um destes é equilibrar as forças caóticas do risco e da mudança com uma cultura de trabalho capaz de gerar coerência entre as muitas iniciativas que a escola tem buscado. A sociedade do conhecimento é, de várias maneiras, mais uma sociedade do entretenimento na qual imagens fugazes, prazer instantâneo e pensamento mínimo fazem com que nos divirtamos até a morte...
Na economia do conhecimento, o consumidor é o centro, para a maioria das pessoas, a opção está inversamente relacionada à significação. Ensinar, para além do conhecimento, implica resgatar e reabilitar a ideia do ensino como vocação sagrada, que busca uma missão social atrativa.
CAPÍTULO 3 . O ENSINO APESAR DA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO I: O FIM DA INVENTIVIDADE

Este capítulo aponta para alguns resultados da pesquisa realizada nos Estados de Nova York e Ontário (Canadá). Estes mostram que a reforma educacional, até aqui realizada, não tem preparado as pessoas para a economia do conhecimento e também não há preparo para o enfrentamento da vida pública para além desta economia. 
Os dados também apontam para os padrões curriculares: são suscetíveis a padronizações insensíveis à realidade. Este fato traz diversas consequências, como por exemplo, a degradação da própria graduação, o fracasso e a frustração dos professores. Ensinar para a sociedade do conhecimento, e ensinar para além dela, não precisam ser objetivos incompatíveis.
Não é adequado tender para um lado específico do pêndulo: educando jovens para a economia ou para a cidadania e a comunidade. Essas posições polarizadas trazem poucos benefícios a eles, uma vez que ensinar apenas para a sociedade do conhecimento prepara os alunos e as sociedades para a prosperidade econômica, mas limita as relações das pessoas àquelas instrumentais e econômicas, além de restringir as interações de grupo ao mundo mecânico da catraca, do trabalho em equipe temporário, canaliza as paixões e os desejos das pessoas para a terapia varejista das compras e do entretenimento e para longe das interações interpessoais.
Ensinar exclusivamente para além da sociedade do conhecimento também poderá acarretar complicações, porque se, por um lado, favorece a atitude de cuidado e solidariedade, desenvolve caráter e constrói identidade cosmopolita, por outro, as pessoas estão despreparadas para a economia do conhecimento, o que poderá possibilitar a exclusão delas. Os professores e outros deverão agora se dedicar a unir essas duas missões, de ensinar para a sociedade do conhecimento e para além dela, em uma só, tornando-a o ponto alto de seu propósito.

(Fonte: Apeoesp, Revista De Educação. Acesso em 14, abr, 2013:http://www.apeoesp.org.br/publicacoes/resenhas-concurso/apostila-peb-ii/.)

Questões para discussão:

1 – A leitura deste capítulo nos leva a refletir sobre nossa formação para combater o consumismo desenfreado disseminado na nossa sociedade. Com base nessa reflexão, como você faria para estruturar uma transposição didática relacionando “sociedade do conhecimento” e “sociedade aprendente”. 
Partindo das premissas do autor, você considera sua formação adequada para estar inserido na sociedade do conhecimento e ao mesmo tempo cumprir com o objetivo de “desenvolver os valores e as emoções do caráter dos jovens”?
2 – De acordo com sua vivência profissional na nossa unidade escolar, considere: 

a) Se comprometer com o desenvolvimento e com a aprendizagem profissional formal;
b) Trabalhar individualmente e/ou com os colegas em grupos de curto, médio e longo prazo;
c) Ter oportunidades para ensinar e aprender em diferentes contextos e com exemplos de outros países?

 _________________________________________________________________________________

RELATÓRIO DESCRITIVO

ESCOLA ESTADUAL ANTONIO FERRAZ
ALUNO
PROFESSOR (A): __________________________
1º Aspectos relacionados ao emocional-afeto:
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
2º Formação de Hábitos e Atitudes:
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
3º Aspectos relacionados ao social:
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
4º Aspectos Psicomotores:
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
5º Aspectos relacionados à aprendizagem após a presença da professora interlocutora:
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
6º Aspectos relacionados ao acompanhamento familiar:
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
ASSINATURA DO PROFESSOR: _________________________________
Data: ___________


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

PAUTA DA ATPC 1º de outubro de 2013.

  1. A descoberta do mundo com vídeo: O Milagre de Ann Sulivan
  2. Surdocegueira – Sem luz e sem som: vencendo a barreira do isolamento.
  3. Filme: Black Indiano (FILME FANTÁSTICO - VALE A PENA VER) http://www.youtube.com/watch?v=fxfqLN6K71A
  4. Convocação para professor de Arte (Roberta), Inglês (Aline?), Química (Terezinha) no dia 10/10 DIRETORA ICLEA PEDIU PARA NINGUEM FALTAR NESSE DIA pois já serão três professores convocados e não teremos substitutos disponíveis.
  5. Dia 04/10 Dia do SARESP – das 8:00 às 13:00h e das 17:00 às 22:00h para os professores que trabalham no período da manhã
  6. Segunda-feira, 07/10 – Conselho de Classe/série/termo – a partir das 8:00 Ensino Médio e à tarde, à partir das 13:00h Ensino Fundamental
  7. Curso A Conquista da Cidadania LGBT: A Política da Diversidade Sexual no Estado de São Paulo– curso à distância – informações em folha anexa nesta reunião.
  8. Olimpíada de Química SP 2014
  9. Curso de Especialização em Ensino de Filosofia
  10. Concurso – “A Bola da Família” – professores de Arte, apontar alunos que desenham bem para realização do concurso.
  11. Atenção: a aluna CAROLINA F. ANDRADES, 1ª C, está grávida e passando mal, enviar trabalhos; e a aluna GRACIELI FABRI , 3ª C, a mãe está doente, precisará ajudar e irá faltar, colaborar para que a aluna possa concluir o ano letivo.
  12. Dia 19/10 – Um Dia na Escola do Meu Filho – sábado letivo – concurso de danças, corte de cabelo e algodão doce. No período da tarde. Inscrições na coordenação para os grupos que irão se apresentar.
  13. Observação: Quando você professor, for tirar licença, favor passar na coordenação e comunicar para que as coordenadoras se mantenham informadas do tempo e do material que deixará disponível.
 RESUMO DO FILME: BLACK 

O filme Black inspirado na vida da escritora indiana Helen keller, em que conta a história de uma jovem chamada Michelle McNally que ficou cega e surda, alguns meses depois do seu nascimento; e devido não saber como superar as suas limitações físicas e, também, por não ter ninguém da sua família que lhe compreendesse tornou-se uma garota triste, violenta, grosseira e amarga.
A princípio, devido à dificuldade em dar e receber afeto, excerto quando estava perto da sua mãe, chamada Catherine, a quem demonstrava um pouco mais de carinho e, por ser uma pessoa incapaz de interagir socialmente com os outros, ela era considerada como uma garota problemática e os seus pais a consideravam quase como se fosse um animal, isolando a mesma no seu quarto ou, às vezes, amarrando perto da sua cama.
Os seus pais que já tinha tentado alguns métodos para educá-la, mas, até momento, ainda não havia obtido nenhum êxito no processo educacional de sua filha, à medida que o tempo passava mais desesperados os mesmos ficavam por não saber como ajudá-la, nem a quem recorrer para conseguir educá-la com perfeição.
Um dia sua família ouvir falar de um homem, chamado de Debraj Sahai que tinha conseguido ensinar outras crianças cegas e surdas com sucesso, cujo seu único problema era ser alcoólatra. Então, ele o contratou para ensiná-la, mas, a princípio, o seu método didático não agradou a sua família, nem a Michelle. Entretanto, ao perceber as primeiras mudanças deixou que continuasse ensinando sua filha, pois, à medida que, o tempo passava mais conhecimento ela adquiria, ao ponto de conseguir fazer com que a jovem fosse aprovada em uma escola normal, tornando-se a primeira aluna cega e surda a estudar naquele lugar.
O professor Debraj Sahai mais tarde descobriu que estava com a doença de Alzheimer e a medida que o tempo passava, mais sua memoria ficava debilitada, e devido a esse motivo não teve mais como ensina a Michelle. No entanto, depois, de muitos anos ela o reencontra e resolver lutar para resgata-lo da escuridão e trazer para o caminho da luz.
O filme é importante porque mostra a relação do professor com o aluno dentro e fora da escola ou universidade, mostrando que qualquer obstáculo pode ser superado quando temos perspicácia, paciência e muita força de vontade para tornar possível a concretização dos nossos sonhos, principalmente, que devemos lutar todos os dias para vencer as nossas limitações e não se deixar abater diante de alguns fracassos ocorridos em nossa vida. A jovem Michelle nos mostrou que podemos superar as nossas limitações (ou possíveis deficiências ocasionada por fatores naturais ou biológicos) se nos dedicarmos intensamente para a concretização deles.
Portanto, podemos dizer que a educação, o carinho e o apoio da família, dos docentes e discentes nas escolas (ou universidades) é a grande chave propulsora para retirar qualquer pessoa do caminho da escuridão, por mais demorado e difícil que nos possa parecer temos que saber compreender as nossas deficiências e, também, das outras pessoas; e juntos tentamos buscar novos caminhos em nossa vida para superar esses obstáculos.
————–x———-x———-x———-x———-x—————————x———-x———-x———-x———-x————–
RESUMO DOS PRINCIPAIS PERSONAGENS DO FILME
Debraj Sahai (O professor): É o professor que vai ensinar a jovem Michelle que ficou cega e surda. Ele é considerado um ótimo professor, apesar de ter sérios problemas com a bebida. O homem trabalha com surdos e cegos, utilizando alguns métodos um pouco convencionais para ensinar seus alunos, porém sempre visando os benefícios do aprendizado a longo prazo.
A Jovem Michelle McNally (A garota cega e surda): É a garota que ficou cega e surda, alguns meses depois do seu nascimento; e devido não saber como superar as suas limitações físicas e, também, por não ter ninguém da sua família que lhe compreendesse tornou-se uma garota triste, violenta, grosseira e amarga. Entretanto, sua vida passou a mudar quando conheceu o professor Debraj Sahai. Ela foi à dama de honra de sua irmã Sarah.
 - Sarah Maria McNally (Irmã da Jovem Michelle McNally): É a irmã da jovem cega e surda, ela no inicio do filme tinha muita raiva e inveja da jovem Michelle, devido seus pais a tratarem de maneira especial. No dia do jantar de cerimônia do seu casamento, Sarah brigou com a sua irmã e diante da situação o professor visando amenizar a magoa entre ambas, resolve ler a carta que a jovem Michelle havia escrito para sua irmã e, depois, Sarah pede perdão por tudo que fez de ruim, passando admirá-la.
- Marc Philip Bragger (Noivo de Sarah McNally): Ele é um jovem de bons princípios e será o futuro marido de Sarah Maria McNally.
- Paul McNally (Pai ): Ele é um homem muito chato, teimoso, grosseiro e de princípios bem antigo, cujo era casado com Sra. Catherine McNally e tinha duas filha: a primeira, a jovem Michelle e a segunda, a Sarah. Ele gostava de suas duas filhas, mas, em seu ponto de vista, devido a Michelle só trazer problemas queria interná-la no manicômio.
- Sra. Catherine McNally (Mãe): Ela é casada com Paul McNally, onde desse relacionamento teve duas crianças: a primeira, a jovem que ficou cega e surda e a segunda, a Sarah, a sua filha caçula. A Sra. Catherine é uma mulher bonita, decente, carinhosa e que tinha muito apreço pelas as suas duas filhas, mas uma era bem especial, devido ter nascido com algumas limitações, como é o caso da jovem Michelle. Ela sempre acreditou que a sua filha mais velha poderia ser alfabetizada e ter um aprendizado de qualidade, igual ao ensino da sua outra filha Sarah.
- Sra. Nair (Mãe): Mulher que vivia na mesma casa, cuja mesma também cuidava e dava lição de moral no professor Debraj Sahai, quando ficava bêbado ou desempregado. Na seletiva que vai participar para ser aceita em um colégio normal, ela será interprete da jovem Michelle no lugar do seu professor Debraj Sahai.
- Martha (Tia): Ela é a tia das duas garotas McNally.
- Sr, Fernandez (Diretor): Ele é o diretor da Universidade Rei Eduardo e a pessoa que vai possibilitar a jovem participar de uma seletiva para ser aceita em um colégio normal.
————–x———-x———-x———-x———-x—————————x———-x———-x———-x———-x————–
 PONTOS POSITIVOS DO FILME
Para obtermos o sucesso no processo de aprendizado dos alunos surdos-cegos é importante que exista um envolvimento afetivo entre a pessoa e a sua família; e, também, entre os docentes e discentes dentro e fora das Escolas (ou Universidades), visando com esse objetivo tentar aproximar e facilitar na construção do intelecto do educando.
- Podemos superar as nossas limitações (ou possíveis deficiências ocasionada por fatores naturais ou biológicos) se nos dedicarmos intensamente para a concretização deles.
O conhecimento é a chave para o sucesso de qualquer individuo.
O filme é bem completo, devido utilize-se das expressões gestuais, faciais e corporais.
Professoras Coordenadoras responsáveis: Ana Lúcia e Cláudia                   

17 de setembro de 2013

  1. EJA MUNDO DO TRABALHO – COMO APRENDEM AS PESSOAS JOVENS E ADULTAS
§         Orientações Pedagógicas
§         Vídeo: para refletir: Ler devia ser proibido (http://www.youtube.com/watch?v=iRDoRN8wJ_w)
§         Atividade: Unidade 5 – Língua Portuguesa – 7º ano/ 2º termo
Julgando o livro pela capa
§        Reflexões Pedagógicas  sobre o ensino aprendizagem dos alunos jovens e adultos

  1. Questionário – Avaliação da Aprendizagem em Processo e Pesquisa – Avaliação Diagnóstica SAEB
    • Analisar planilhas
  2. Final do Campeonato de Vôlei e Futsal – dia 19/09 (quinta-feira) – orientações para levar as turmas.
  3. Lista de presença dos alunos que visitaram a feira e os que participaram (notas e presenças neste dia)
  4. Saída dos 6º anos no final do período e alunos que almoçam no final do período – fala da direção
  5. Pré-conselho – será afixado na sala dos professores ainda essa semana
  6. A aluna da 7ª série E, Caroline (atenção especial)
  7. Outros:


Responsáveis: PC EF Ana Lúcia, PC EM Cláudia.


PAUTA DA ATPC - 03 de setembro de 2013

A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria.
Paulo Freire
1.  Simulado de Geografia:
- Quanto à aplicação de habilidades
Preencher os resultados do SIMULADO de acordo com a porcentagem de acertos dos alunos.
- Quanto à aplicação do Simulado
Como faremos o SIMULADO por blocos,  os professores deverão colocar na planilha o dia e horário que aplicarão para não chocar salas com outro professor.
- Quanto à correção do SIMULADO:
Deverá ser feita pelo professor da sala avaliada e LOGO EM SEGUIDA corrigida de forma coletiva (professor-aluno), questão por questão. Neste momento devemos oportunizar aos alunos uma reflexão dos seus erros e acertos em cada questão. É primordial que haja revisão mais acentuada das questões com índices menores de acertos.
- Quanto à socialização dos resultados entre os professores e coordenação:
É oportuno que em próximos ATPCs por área, haja uma reflexão e tomada de decisão do grupo quanto aos aspectos detectados.
- Quanto ao arquivo do SIMULADO:
Deverá ser arquivado na coordenação as tabelas de habilidades, como os índices de acertos.
2. concurso de Redação – Previdência Social – alunos do Ensino Médio, em caráter nacional, com o tema “Qual a importância da Previdência Social para o seu futuro”
3. Pós –Graduação Lato Sensu – Tradução e Ensino de Língua.
4. Professor quando faltar DEVE deixar material para ser passado pelo professor substituto. Este aviso é para reforçar orientações já passadas, uma vez que muitos professores não têm deixado o referido material.
5. Por favor, professor, quando for trocar e sala e voltar após o intervalo, abra sua sala e chame seus alunos para dentro. NÃO FICAR COM CONVERSAS NAS PORTAS COM OUTRO PROFESSOR.
6. FEIRA DE CIÊNCIAS –organização das atividades, definição dos horários de cada sala e dos professores.
7. Reunião de Pais – marcar data e assuntos pertinentes a serem tratados
8. Parabéns aos professores que participaram do Agita Galera.
9. Outros:




Coordenadoras pedagógicas: Ana Lúcia e Cláudia

PAUTA DE ATPC – 20 de agosto de 2013

"É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança."

1-     Instrução sobre atribuição de aula para 2014 – Paula.

2-     Simulado de Geografia – 7º ano, 8ª série e 3ª série de EM.
3-     Inscrições para o Curso de Inglês Online para servidores no site – de 19/08 a 09/09.
4-     II Festival de Imagens – Ensino Médio.
5-     Comunicado: o livro “Os Cem Melhores Contos do Século” destinados especificamente a docentes não deve circular em ambiente diverso ao da Sala de Leitura.
6-     Divulgação do Concurso de Redação – 3ª série do EM e EJA.
7-     Divulgação da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia – FEBRACE 12.
8-     De 26 a 28/08 planejar as ações do Agita Mineiros – II Gincana da Solidariedade – listagem dos professores responsáveis.
9-     Dia 25/08 – Festividades de Aniversário da Cidade: Pelotão de Bandeiras e Fanfarra.
10- Socialização da OT de 09/08 – materiais sobre Leitura e Escrita em todas as áreas.
11- Feira de Ciências e Tecnologia – preparação das atividades.